sexta-feira, 31 de maio de 2013

PlayStation Store fora do ar, e ninguem pode jogar a demo de The Last of Us

Temos uma notícia boa e outra ruim para sua sexta-feira. A boa é que, depois de muita espera, a Sony finalmente liberou a demonstração de The Last of Us para o PlayStation 3 para quem comprou o game God of War: Ascension. A má é que ela não está funcionando.

Depois de quase três meses de espera, eis que o contador que daria acesso ao novo jogo da Naughty Dog terminou e, em vez de trazer a tão esperada demo, fez com que muita gente entrasse em desespero ao ver que a PlayStation Store está fora do ar. O motivo não poderia ser outro: uma quantidade absurda de pessoas tentando fazer o download do título.

De acordo com uma postagem feita em seu perfil no Twitter, a Sony Santa Monica  afirma que a queda da loja foi por causa de uma “invasão zumbi” no início da tarde desta sexta-feira, uma bem-humorada visão sobre a luta dos jogadores para conferir a demo.

Além disso, a Naughty Dog  também comentou na rede social que a versão The Last of Us estará disponível para download ainda hoje, mas não trouxe nenhum horário que acalme os ânimos de quem estava contando os segundos para conferir um trecho da saga de Joel e Ellie.

A previsão é que a situação se normalize em breve, uma vez que a quantidade de pessoas em busca do jogo ainda é alta. Ao menos é isso o que esperamos, já que também dependemos dessa demo para o gameplay de hoje à tarde.

O que vem na demo?

Já que ninguém conseguiu jogar ainda, coube à Sony contar em seu blog oficial  o que vamos encontrar. Segundo a página, vamos acompanhar a luta da dupla, que estará acompanhada de Tess, contra os infectados na fase Subúrbios. Por isso, vamos torcer para que as coisas se ajeitem logo para que todos possam estourar a cabeça de Runners e Clickers o quanto antes.

Limbo no Playstation Vita.

Limbo está perto de completar três anos, e vai ganhar sua primeira versão portátil que será lançada para Playstation Vita. O jogo será exatamente o mesmo que já conhecemos, e não terá nenhum extra na sua nova versão.

Vale lembrar que o Limbo não será cross-play, e por isso que já comprou para Playstation 3 terá que comprar novamente para jogar no Playstation Vita. 







A versão para Playstation Vita do Limbo será lançada na próxima terça-feira, dia 4 de junho. Ele será vendido exclusivamente por download na PSN por R$ 30,99. 

Lista dos lançamentos do mês de junho.

Lista dos lançamentos do mês de junho. Com o lançamento de The Last of Us, muito esperado para o PS3,   e Epic Mickey 2: The Power of Two para PS Vita. esta ai a lista dos lançamentos.





Remember Me 
(PC, Playstation, 3 Xbox 360)
Data: 06/06/13




















Animal Crossing: New Leaf 
(Nintendo 3DS)
Data: 09/06/13















The Last of Us 
(Playstation 3) 
Data: 14/06/13















Epic Mickey 2: The Power of Two 
(Playstation Vita)
Data: 18/06/13













Deadpool: The Game
(PC, Playstation 3, Xbox 360)
Data: 25/06/13





















Game & Wario 
(Wii U)
Data: 25/06/13














Muramasa Rebirth
(Playstation Vita)
Data: 25/06/13





















Earth Defense Force 2025 
(Playstation 3)
Data: ??/06/13

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Projeto de tecnologia para teletransporte feito pelo google

O google não para mesmo, dessa vez e a empresa considerou seriamente o desenvolvimento de tecnologia para teletransporte. Empresa que já vem com ideias visadas no futuro como o google glass, óculos inteligentes, e outros produtos mais ambiciosos no entanto descartados.

O recurso seria desenvolvido no laboratório Google X, criado em 2010 e localizado a 800 metros do campus da companhia, onde são desenvolvidos os projetos mais "malucos" do Google, como o carro que se dirige sozinho e até mesmo o Glass.
  
Segundo matéria extensa da BusinessWeek sobre o laboratório, a pesquisa foi descartada não pela complexidade do teletransporte, que até hoje se discute se é ou não possível. Um dos motivos pela negativa foi que "itens únicos (como uma obra de Picasso) precisariam ser destruídos para serem reconstituídos em outro local", o que poderia danificar o valor da obra.

A negativa do teletransporte, no entanto, não significa que o Google X não tenha outras cartas na manga. A empresa ainda não descartou a ideia de pesquisar a levitação, bem como a criação de robôs infláveis.

Outro produto interessante que foi proposto internamente no laboratório, segundo a publicação, é um capacete invisível para ciclistas, que protegeria sem estragar o visual. Resta saber se o projeto irá adiante ou não.

"Nós iremos entrar em qualquer coisa que for um grande problema para a humanidade, se conseguirmos encontrar uma maneira de consertá-lo", afirma Astro Teller, diretor do laboratório quase secreto da companhia.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

AMD VS Intel

              Testes dos processadores AMD e podemos observar que em relação aos processadores INTEL no JOGO LOST PLANET 2, os AMD levaram uma pequena vantagem.






Fonte:Chipart

sábado, 25 de maio de 2013

Qual é melhor wii U, Xbox One ou PS4?

O site tecmundo postou um infográfico, comparando os consoles da nova geração (wii U, Xbox One e PS4) mostrando desde o tamanho até o pode de processamento deles. Quem ganha?
Poste completo aqui

"Finalmente, a Microsoft apresentou ao mundo sua máquina para entrar na corrida da oitava geração de consoles. O Xbox One vem para competir diretamente com o PlayStation 4 e com o Wii U. Até o momento não sabemos como ele se sai na prática, mas, com base nos dados divulgados, podemos ter ideia do potencial do aparelho.
Resolvemos coletar dados mais específicos para sabermos como esses aparelhos se saem na briga pelo posto de video game mais robusto. Agora, você confere quais as vantagens e desvantagens de cada um — e o que isto implica na hora de rodar os jogos. Chega de papo e vamos para as batalhas..."
Clique para aumentar a imagem



                                                                                                                                        
                                                                                                                       Fonte: tecmundo 

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Nvidia GeForce GTX 780 promete arrancar suspiros nos jogos

geforce-gtx-780            A fabricante Nvidia acaba de lançar sua nova placa de vídeo de altíssima performance, a GTX 780. Dedicada ao público gamer, a nova placa tem 50% mais núcleos de processamento gráfico que a sua antecessora, a GTX 680. São 2304 contra 1536 núcleos (CUDA Cores). Ela vem com 3 GB de memória GDDR5 e tem largura de banda de 288 GB/s. O desempenho, segundo a empresa, se assemelha a GeForce GTX TITAN, que é hoje considerada o topo de linha, muito além da nova geração de consoles.

A evolução da arquitetura Kepler (chip GK110) tem novidades também no ajuste fino: a segunda versão da tecnologia GPU Boost. Na prática ela permite aumentar a performance em um nível superior ao da versão anterior (overclock e overvoltage), com uma temperatura determinada pelo usuário. Os ajustes são definidos pelo software terceiro EVGA Precision X.
Há também uma novidade em termos de software, no caso o GeForce Experience. Ele ajusta automaticamente os parâmetros de algum jogo para melhor performance possível. Há uma lista oficial de jogos compatíveis. O Experience ajuda também na tarefa de manter o driver na última versão (algo muito chato de fazer manualmente).
Veja o vídeo oficial de lançamento:

Mito ou Verdade: deletar a pasta de um programa ao invés de desinstalá-lo causa problemas?

                    Mito ou Verdade, e certamente a dúvida desta vez abordada é muito comum entre os usuários: deletar a pasta de um programa ao invés de desinstalá-lo causa problemas?
Sim, apagar a pasta de um programa sem desinstalá-lo pode acarretar problemas, desde pequenas falhas de atalho até mais graves que envolvem o registro do Windows e arquivos compartilhados. Entenda por quê.
É tudo registrado
                   A principal razão para eliminar completamente um software de um computador é o registro do Windows. Para quem não sabe, trata-se de um banco de dados que armazena configurações e opções de todos os componentes de hardware e dados sobre quase todos softwares instalados e configurações de usuários do sistema.
Com o tempo, mais e mais informações são adicionadas ao registro, muitas delas inúteis. Isso o sobrecarrega e pode deixá-lo lento. Ao apagar a pasta de um programa sem desinstalação, ela pode ser removida para o acesso do usuário, porém o registro e alguns arquivos de configuração (como os DLL) permanecem no sistema. Em outros casos, alguns arquivos podem ficar “presos” e não conseguem ser removidos. Pior, se tentar desinstalar depois, não será possível.
Programas “parceiros”
Hoje é muito comum que programas diferentes “conversem” entre si — a Adobe faz muito disso, por exemplo. Ao apagar a pasta de um, outros podem ficar “perdidos”, eles não sabem que um companheiro foi deletado e ficam até mesmo inutilizados.
                 Outro tipo de associação é de arquivos, que indica determinado programa como padrão para abrir um tipo específico de arquivo. Ao apagar (e não desinstalar) tal software, o Windows acha que ele ainda existe e vai tentar usá-lo pra executar tal extensão. Problemas menos graves incluem atalhos que ficam perdidos pelo sistema, às vezes no Menu Iniciar, outras na Área de trabalho.
Em outras palavras: imagine o Windows como uma casa. Apagar um programa sem desinstalá-lo é como varrer sujeira para debaixo do tapete. Pode até esconder, mas os problemas vão aparecer cedo ou tarde.
               Não exatamente. Softwares mais simples, por exemplo, não adicionam informações ao registro do Windows e funcionam apenas com seus arquivos executáveis. Nesses casos, é possível apenas excluir a pasta deles. O raciocínio é simples: se houve instalação, deve haver a desinstalação apropriada.
Então, nada de apagar pastas a torto e direito. Primeiro, acesse o Painel de Controle do Windows, vá em "Adicionar/Remover Programas" e desinstale o que você não quer mais. Se tal software não estiver listado, calma!
                    Os desinstaladores dos programas geralmente se encontram na mesma pasta que está o arquivo executável. Se existir uma pasta do programa no Menu Iniciar, verifique se ele está lá. Caso esteja, selecione-o e siga as instruções. Se não, encontre o link do programa, clique com o botão direito e escolha “Propriedades” e lá encontre o caminho. Vá até esse caminho no Windows Explorer e na pasta principal procure algo como “Uninstall”. Se encontrar, execute e siga as instruções.
Não é comum, mas há programas muito teimosos que exigem uma operação de guerra para serem removidos. Então leia o artigo que explica como deletar softwares manualmente.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Engenheiro do Google expõe publicamente falha do Windows


   Um funcionário do Google tomou um caminho polêmico ao divulgar publicamente uma falha descoberta por ele no Windows 7/8. Tavis Ormandy, que trabalha como engenheiro de segurança da informação no gigante das buscas encontrou um problema que permite a usuários locais ganharem privilégios.

A falha foi considerada pouco crítica pela empresa de segurança Secunia, já que não pode ser explorada remotamente. Entretanto, o que chama a atenção é a atitude de divulgar a falha publicamente à SecLists, em vez de seguir o protocolo sugerido para a Microsoft, que pede que estas falhas sejam tratadas de forma privada.

"Não tenho tempo de trabalhar com o código bobo da Microsoft", afirmou o engenheiro.

Ormandy já havia revelado falhas no Windows XP que comprometeria a máquina e não é o único funcionário do Google a investigar falhas no código do sistema operacional da Microsoft. Sua atitude foi criticada por pesquisadores em segurança por ser "irresponsável", mas ela tem fundamento, afirma Ormandy.

Segundo ele, "a Microsoft trata os pesquisadores de vulnerabilidades com grande hostilidade". Já a consultora Sophos vê exatamente o contrário, por meio de um e-mail enviado por Graham Cluley, ao The Verge. "Geralmente, a equipe de segurança da Microsoft faz um excelente trabalho", afirma ele, entendendo que os pesquisadores devem ser mais responsáveis com suas descobertas.

Sobre a falha, a Microsoft fez um pronunciamento afirmando estar ciente das falhas divulgadas, que estão sendo investigadas. "Tomaremos as ações necessárias para proteger nossos clientes", afirmou à Computerworld.
Fonte:Google

10 jogos mais caros já feitos na história.

Atualmente, não é difícil encontrar produções que custam mais caro do que filmes para serem desenvolvidas. Somente para ter uma ideia: no início da década de 1990, o orçamento para o desenvolvimento de um título de peso ficava na faixa dos US$ 100 mil (R$ 200 mil). Quando a id Software desenvolveu o primeiro Doom, o investimento foi de mais de US$ 200 mil (R$ 400 mil), o que enquadrou o game como um dos títulos mais caros da história até então.
Nós separamos uma lista com alguns dos games que tiveram o maior orçamento de todos até hoje. Acompanhe:
Importante: os valores mostrados nos títulos trazem números corrigidos pela inflação atual para facilitar a comparação.

Star Wars: The Old Republic (2011) – cerca de US$ 204 milhões



Star Wars The Old Republic é um MMORPG lançado no final de 2011 para PC. O game leva os jogadores a uma das maiores reconstruções do universo de Star Wars já vista até hoje, contando com milhares de personagens, objetos e referências ao universo fantástico criado por George Lucas.
Apesar de o orçamento oficial não ter sido divulgado, ele pode ser considerado por analistas como o game mais caro já produzido até hoje. Estimativas dão conta de uma cifra que ultrapassa os US$ 200 milhões (R$ 400 milhões).  Esse alto investimento é decorrente de mais de 800 pessoas trabalhando durante seis anos em quatro continentes. Para dublar os mais de 4 mil personagens em três idiomas diferentes, foram necessários mais de mil atores.
Embora tenha sido bem recebido pela crítica, a taxa de jogadores pagantes que explodiu nos primeiros meses infelizmente diminuiu muito, o que obrigou a Electronic Arts a transformar o jogo em um título gratuito para jogar.

Grand Theft Auto 4 (2008) – US$ 106 milhões

Grand Theft Auto também elevou os padrões de qualidade e de liberdade dentro do mundo virtual. Se o terceiro título da série já impressionou pela qualidade e complexidade, GTA 4 chamou o mundo para apreciar uma Liberty City completamente remodelada e viva, deixado todos de queixo caído com o nível de detalhes.
A produção não foi barata. O game de 2008 custou cerca de US$ 100 milhões (R$ 200 milhões) para ser produzido. Já pensou quanto vai custar o desenvolvimento de GTA V, que já é muito maior que o seu antecessor? Analistas garantem que a cifra já ultrapassou os US$ 137 milhões (cerca de R$ 270 milhões). Mas dane-se, é GTA. O investimento vale a pena.

Shenmue (1999) – US$ 98 milhões

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/en/thumb/e/e2/ShenmueDCbox.jpg/250px-ShenmueDCbox.jpgShenmue foi uma proposta ousada. O game de Yu Suzuki desenvolvido pela equipe AM2 da SEGA foi concebido para ser uma das obras mais impressionantes dos games, trazendo recursos de liberdade baseados na vida real, como ciclo de tempo e personagens secundários mais inteligentes — algo inédito na época. O game tinha uma tarefa complicada: ajudar a estabelecer o SEGA Dreamcast no mercado.
Para tentar atingir esses objetivos ousados, Shenmue custou à SEGA aproximadamente US$ 70 milhões (R$ 140 milhões), custo de produção que inclui o game a sua sequência, que acabou não sendo lançada. Apesar de ser um título extraordinário e ter vendido relativamente bem, a SEGA acabou tendo prejuízo com o jogo.
Em valores atuais, o custo da produção seria de aproximadamente US$ 98 milhões (R$ 196 milhões).

The Elder Scrolls V: Skyrim (2011) – US$ 86 milhões

http://thegamershub.net/wp-content/uploads/2011/10/Elder-Scrolls-V-Skyrim-2135.jpgSkyrim é uma obra de arte em diversos aspectos. O gigantesco continente de Skyrim pôde ser explorado pela primeira vez na série, enquanto você enfrentava dragões e descobria poderes e incríveis lugares para visitar no enorme mundo do jogo.
A produção levou cerca de três anos e meio e teve um custo estimado de US$ 85 milhões (R$ 170 milhões) entre desenvolvimento e publicidade. Ao todo, quase 200 pessoas estiveram envolvidas na produção do título.
No caso de Skyrim, o investimento foi recuperado rapidamente, já que somente na primeira semana de lançamento a Bethesda arrecadou mais de US$ 450 milhões (R$ 900 milhões) com o título. Jogo muito completo, mapa aberto, e cenário extenso, gráficos e sons muito bons,  mais com muitos bugs. Só que valeu a pena investir tanto, lembrando que ganhou como jogo do ano de 2011. 

Gran Turismo 5 (2010) – US$ 84 milhões 

http://www.mundotecno.info/wp-content/uploads/2010/11/gran-turismo-5-3.jpgGran Turismo é uma das franquias de mais peso da Sony, e não é à toa. Desde que estreou no PlayStation, o game vem reunindo uma legião de fãs e adoradores do automobilismo devido ao alto grau de realismo e complexidade do título.
O quinto capítulo da série não poderia ser diferente. Os mais de mil carros disponíveis, além de gráficos cinematográficos e uma tonelada de extras, teve o início da sua produção com um orçamento inicial de US$ 60 milhões (R$ 120 milhões). Entretanto, o processo de desenvolvimento acabou aumentando um pouco, chegando aos US$ 80 milhões (R$ 160 milhões) na conta final.

Metal Gear Solid 4 (2008) – US$ 54 a US$ 74 milhões

http://1.bp.blogspot.com/-EJxdXDBTS2c/Tv3wcPr0r9I/AAAAAAAAGXQ/CyzYC-sD9LA/s1600/metal_gear_solid4_12.jpg Metal Gear Solid sempre esteve no topo dos games de ação como um dos títulos de espionagem mais aclamados, e o quarto capítulo da série não é uma exceção à regra. A produção de Hideo Kojima teve início em 2005, mas só chegou ao mercado em 2008. O grande número de cutscenes e detalhes visuais absolutamente bem trabalhados fazem com que o título de cinco anos de idade ainda não pareça ultrapassado.
Apesar de o orçamento final não ter sido divulgado, especialistas garantem que o investimento no desenvolvimento de Metal Gear Solid 4 tenha ficado entre US$ 50 a 70 milhões (R$ 100 a 140 milhões). Um valor justo, se analisarmos a qualidade da produção. 

Final Fantasy VII (1997) – US$ 65 milhões

http://3.bp.blogspot.com/-AT7yuUzCCug/TfTI18qeXAI/AAAAAAAADLU/fN2tIu7ukqs/s1600/final-fantasy-vii-cast-1.jpg
Quando a Square-Enix (na época Squaresoft) decidiu abandonar a Nintendo, sua parceira de tantos anos, em prol da Sony, muita gente desconfiou da qualidade de Final Fantasy VII. Quando o game foi lançado, ele simplesmente elevou o padrão de todo o segmento em termos de desenvolvimento e qualidade.
O estúdio investiu US$ 45 milhões (cerca de R$ 90 milhões) na época para desenvolver um dos jogos mais aclamados de todos os tempos. Some isso aos milhões de dólares investidos em publicidade pela Square e pela própria Sony, que desembolsou mais de US$ 100 milhões (R$ 200 milhões) apenas no ano de 1997 para promover o PlayStation e seus jogos.
Em valores atualizados pela inflação de hoje, o game teria custado quase US$ 65 milhões (R$ 130 milhões), sem contar o investimento em marketing. Jogo muito legal e que marcou a infância de muitas pessoas inclusive a minha.

Too Human (2008) – US$ 64 milhões

http://sticktwiddlers.com/wp-content/uploads/2012/11/too_human.jpg
Too Human teve uma história polêmica do início ao fim: a produção levou aproximadamente 10 anos para ficar pronta. O título começou a ser planejado em 1999 e deveria ser lançado para o primeiro PlayStation. Pouco depois, o desenvolvimento passou para o Gamecube e o game só acabou sendo lançado definitivamente em 2008, no Xbox 360.
A história de ficção científica deveria ser uma trilogia retratando uma aventura que se passa em um mundo futurista com elementos que remetem à mitologia nórdica. O processo conturbado de produção custou caro: cerca de US$ 60 milhões (R$ 120 milhões) foram investidos pelo estúdio Silicon Knights — valor que não passou nem perto de ser recuperado pela empresa. Os gráficos nao são muito bons mais o jogo em si é legal.

Final Fantasy XIII (2009) – US$ 53 a US$ 64 milhões

http://www.smartsite.com.br/sys_client/135/sys_imgBank/Final_Fantasy_XIII_2.pngA saga de Lightning e companhia custou caro para a Square. O game foi o primeiro título da franquia para a nova geração de consoles. O novo sistema de batalhas, as animações, as sequências de vídeo e a dublagem dos personagens chamaram a atenção pelo capricho.
O desenvolvimento do game começou ainda em 2004 e trouxe mudanças radicais no núcleo dos RPGs da série. A principal reclamação dos jogadores foi quanto à linearidade da história, que tirou boa parte da liberdade de exploração.
Contudo, o título foi bem recebido pela crítica e já vendeu mais de 7 milhões de cópias, sendo o game de venda mais rápida da franquia, provando, novamente, que a Square-Enix sabe como investir o seu dinheiro. Muito bom esse jogo 

Killzone 2 (2009) – aproximadamente US$ 42 a US$ 64 milhões

http://www.themindofgame.com/wp-content/uploads/2012/12/killzone2_wallpaper_1080p.jpgO jogo de tiro em primeira pessoa exclusivo para PlayStation 3 traz batalhas frenéticas contra grandes números de inimigos. O título conta com gráficos surpreendentes incluindo animações de alta qualidade e efeitos de profundidade de campo incríveis.
O desenvolvimento do jogo durou quatro anos e o projeto começou com um orçamento definido em US$ 20 milhões (R$ 40 milhões). Com os atrasos sofridos na produção, o custo subiu muito. Estimativas não oficiais garantem que a cifra final ficou na casa dos US$ 40 a US$ 60 milhões (cerca de R$ 80 a 120 milhões). Eu joguei e recomendo. 

Diferença entre geek e nerds.

Com certeza algumas pessoas já te fez essa pergunta, ou você mesmo se perguntou: 
- Sou Nerd ou Geek? 
 Mas qual a diferença entre eles? 
 Vamos para o Wikipedia... 
 “Nerd é um termo que descreve, de forma estereotipada, muitas vezes com conotação depreciativa, uma pessoa que exerce intensas atividades intelectuais, que são consideradas inadequadas para a sua idade, em detrimento de outras atividades mais populares. “


Geek é uma expressão idiomática da língua inglesa, uma gíria que define pessoas peculiares ou excêntricas obcecadas com tecnologia.”




  Só que os dois tem uma coisa em comum, ambos amamos a tecnologia.




Mortal Kombat nos PCs. Oficial

    03 de julho será um dia esperado pelos fans de Mortal Kombat, e jogadores de pc. Será lançado o Mortal kombat komplete Edition.
    
    Os Jogadores do PC agora poderão experimentar Mortal Kombat Komplete Edition, onde terão a disposição todos os conteúdos para download. Além disso, o jogo oferece 15 Klassic Mortal Kombat Skins e três Klassic Fatalities.
 
     Originalmente desenvolvido pela NetherRealm Studios, liderada pelo co-criador e diretor criativo da série Ed Boon, o jogo será adaptado para PC pela High Voltage Software.

 
google imagens